quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

CRÔNICAS DE GELO E FOGO - O FESTIM DOS CORVOS - LIVRO QUATRO

O quarto livro das "Crônicas de Gelo e Fogo" de George R. R. Martin foca na "nova ordem mundial" de Westeros. Após a morte do rei Joffrey e de sua Mão (e avô) Tywin Lannister, Tommem Lannister se torna o herdeiro e Cersei, a rainha regente. Margaery Tyrell casa-se com o jovem Tommem, sacramentando a aliança entre a casa Tyrell com a família Lannister, união esta que logo é abalada por indícios de uma conspiração entre Tyrion Lannister - acusado pelas mortes do sobrinho e do pai - e a própria família Tyrell, que supostamente o ajudou a escapar da prisão.

Asha Greyjoy
Outro foco é na exótica família Greyjoy. Com o rei Balon morto, a dúvida de quem será o herdeiro do trono das Ilhas de Ferro paira no ar. Asha Greyjoy começa a se organizar para reivindicar seus direitos como filha, já que seu irmão mais velho, Theon Greyjoy, há algum tempo está desaparecido. Mas as coisas complicam quando ela é confrontada por Euron Greyjoy, o Olho de Corvo, irmão de Balon, que almeja igualmente o trono. Com sua lábia afiada e planos ocultos, aparentemente seu temperamento tem mais sintonia com o povo salgado, o que torna os planos de Asha mais complicados.

Brienne de Tarth parte de Porto real em uma longa jornada em busca de Sansa, filha de Catelyn Stark, com o apoio surpreendente do próprio Jaime Lannister. Com a Cumpridora de Promessas na bainha, sua trilha não será das mais fáceis já que existe poucas pistas sobre o paradeiro da garota.

Brienne de Tarth

Samwell é mandado para pra Vilavelha, mesmo contra sua vontade, para aprender a ser um grande meistre, além de levar consigo o velho Aemon Targaryen, Goiva e seu filho. Jon Snow, agora comandante da Muralha, determina essa missão a fim também de proteger o ancião, que pode ser sacrificado e seu sangue real utilizado nas magias da feiticeira Mellissandre. Tenso, Sam receia reencontrar sua família, principalmente seu pai, que o julgará fervorosamente já que "nenhum homem de Monte Chifre se dobra ou se verga perante senhores insignificantes", os meitres de Vilavelha.

Enquanto isso, a outra filha de Ned Stark, Arya, chega em Braavos e decide que ali recomeçará sua vida. Seu objetivo agora é firmar uma nova identidade: a de ser "ninguém". Braavos fica pra lá do mar Estreito, onde a cultura é diferente e todas religiões são abraçadas. Lá, Arya conhece melhor o Deus-de-Muitas-Faces e seus adoradores, além de ser recebida pelos sacerdotes do Templo Preto e Branco.

Arianne Martell
Finalmente, conhecemos mais da comunidade dornense, através de Arianne Martell, filha mais velha do príncipe Doran, governante de Dorne. Após a morte de seu tio Oberyn pelo grotesco Montanha, tanto ela como as irmãs bastardas - as Serpentes de Areia - vão de encontro à conduta de seu pai, que se mantem apático e conservador em relação à morte do irmão. Optando por manter a aliança com os Lannister, Doran não quer iniciar um novo conflito e opta por conter as Serpentes de Areia, deste modo amenizar as intenções de revolta para com o Porto Real. Contudo ainda resta sua filha legítima, Arianne, que tem um plano muito mais consistente contra os Lannister e, enquanto seu pai governa, age na surdina numa conspiração que inclui a própria Myrcella, a filha de Cersei...

***

A história desenvolvida nesse volume, apesar de fundamental para a construção da trama, apresenta, em certos momentos, uma lentidão na narrativa que o leitor acostumado com o ritmo mais acelerado de "Tormenta de Espadas" vai estranhar. Certos capítulos, principalmente os de Brienne e Samwell, aparecem apenas para "deixar o livro mais grosso", talvez com o propósito de dar aquela sensação de jornada árdua e percurso extremamente longo e cansativo. Já os capítulos em que Cersei aparece são extremamente divertidos, mostrando que cada vez mais sua loucura pelo poder torna-a mais e mais sozinha. Sua paranoia de conspiração vai crescendo ao longo do livro. Afinal é compreensível,  já que seu filho Joffrey foi assassinado debaixo de seu nariz e seu pai também, logo em seguida, pelas mãos do próprio Tyrion.

Cercei Lannister
Apesar do ritmo mais lento, a maioria das tramas seguem para uma conclusão apoteótica, levando o leitor à sensações conflitantes e de agitação, que só George R. R. Martin consegue prover. "As Crônicas de Gelo e Fogo" continua sendo uma das melhoras sagas de fantasia criadas nas últimas décadas e "Festim de Corvos" está aí pra comprovar.


"Dança com Dragões", aí vou eu!