domingo, 5 de maio de 2013

Snapshot (Volumes 01 - 04)


Andy Diggle e Jock, a dupla responsável pala aclamada série "Os Perdedores" do selo Vertigo, se juntam novamente para um novo trabalho chamado "Snapshot", dessa vez publicado pelo selo Image. Disponível para compra via Comixology, foi publicado em quatro volumes, lançado em fevereiro deste ano nos EUA.

Jake Dobson é um típico nerd que trabalha numa loja de quadrinhos. Porém sua vida pacata vira de cabeça para baixo quando descobre um celular a caminho do trabalho. Sua alegria de ter encontrado aquele brinquedinho novo logo se torna um pesadelo quando descobre nele fotos de um violento assassinato. Agora o próximo alvo é ele e é só uma questão de tempo até o assassino o encontrar. 

A trama vai se mostrando mais e mais complexa e eletrizante ao longo de cada quadro. Uma misteriosa conspiração vai se desenhando e Jake se vê envolvido até o pescoço. Porém esse mistério é o ponto alto da história, tanto que quando tudo começa a ficar mais claro, a obra vai perdendo a graça... A arte de Jock, no preto e branco, oscilou entre o genial ao tosco. Seu estilo tende ao desleixo em vários momentos, com um acabamento corrido. Muitos quadros parecem esboços sem arte-finalização. Apesar disso ele faz um efeito interessante com as sombras, abusando do preto nas passagens mais angustiantes, muitas vezes encobrindo todo o rosto do personagem, como se seu espírito estivesse imerso em escuridão. Na última edição ele também faz um efeito interessante com a chuva, associando traços com respingos de nanquim.

Embora a arte seja uma questão polêmica, a quadrinização foi bem cinematográfica, com cenas dramáticas e perseguições alucinantes. Vale ressaltar o primeiro encontro entre Jake e o assassino, na loja de quadrinhos, momento esse de extrema tensão.

Com um roteiro bem amarrado, um pouco corrido e com um final que deve dividir opiniões, considero Snapshot um excelente thriller, mas que poderia ter sido melhor desenvolvido se a obra tivesse mais edições. Mesmo assim vale pelo tema e pela criatividade do enredo, já que hoje em dia é tão difícil ver algo original no mercado de quadrinhos.