quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Fundação



Devo admitir que tive dificuldades em alguns momentos ao ler "Fundação". Não foi um livro fácil para mim, contudo valeu a pena encara-lo até o final. Asimov criou um universo - literalmente - tão complexo, tão cheio de intrigas, politicagem, tradições... Joga o leitor num futuro tão distante que as vezes ficamos sem chão. A psico-história, explicada logo no início da obra, é fascinante e sua teoria serve de pilar para os capítulos seguintes.

E não adianta muito se apegar aos personagens. Cada parte, cada capítulo, muitas vezes avança anos ou décadas a frente do anterior. Esses saltos temporais incomodam a princípio, mas depois entende-se que é esse o propósito da obra: o leitor passeia onisciente e onipresente pela história da humanidade, em que governos - e formas de governo - surgem e somem e que personalidades ficam marcadas para todo sempre nas enciclopédias galácticas.

Mas, atenção, não é um livro de ação. "Star Wars" bebeu dessa fonte mas não espere naves espaciais em combate e lasers a todo momento. É uma ficção científica pesada com mais política que aventura desenfreada. O que não deixa de ser menos interessante: é preciso estar preparado para sair de sua zona de conforto e exercitar sua criatividade ao extremo!